Secretário Municipal de Esportes, Lazer e Turismo fala sobre o Complexo Popular Esportivo Municipal de Bambuí (COPEM)

Tive a oportunidade de visitar minha querida cidade natal no mês de junho de 2017 e conversar com o atual Secretário de Esportes, Lazer e Turismo, Ramon Gabriel. O jovem secretário - filho do nosso saudoso e eterno Dr. José Francisco de Paula Sobrinho - é formado em Educação Física pela Universidade de Itaúna. Conversamos sobre vários assuntos, entre eles sobre o antigo CIEB, que se encontra fechado a população em geral há quase dez anos, em razão da degradação de sua infraestrutura. O local teve seu nome alterado para COPEM – Complexo Popular Esportivo Municipal de Bambuí, durante a primeira gestão do prefeito Lélis Jorge Silva.

Canastra Esporte Clube (CEC): Fazendo um resgate, quando você assumiu a Secretaria de Esportes, Lazer e Turismo (SELT), o COPEM estava funcionando?
Ramon Gabriel (R.G.): O COPEM estava sendo entregue pela Caixa Econômica Federal. A parte burocrática foi finalizada e entregue na gestão do Olívio, mas ele já estava pronto. Realizamos uma reunião com as escolas interessadas em utilizar o espaço para atividades educativas no início de 2017.
CEC: A reunião foi realizada com as três escolas que estão localizadas no entorno do Complexo Esportivo? Depois, quais foram as demais pessoas que procuraram para usar o local?
R.G.: Isso, as escolas estaduais “João Batista de Carvalho”, “José Alzamora” e a Cooperativa de Ensino de Bambuí (COPEN-BÍ). Nos procuraram também, o pessoal da Usina (Bambuí Bioenergia S.A.) e das igrejas. O pessoal da comunidade em geral veio pleiteando horário na quadra. Por exemplo, o Basket Bambuí procurou a SELT, pois, não há nenhuma quadra pública disponível com cesta de basquete para eles treinarem. Nós demos abertura para que esta equipe bambuiense pudesse utilizar a quadra externa, que tem cesta de basquete, aos sábados e domingos para treinamento. A utilização do Complexo será realizada preferencialmente para grupos de pessoas (Mediante assinatura de um termo de cooperação) e não será alugada para projetos de escolinhas particulares. Nós estamos pleiteando que a Prefeitura Municipal possa arcar com a manutenção do Complexo Esportivo.
CEC: Atualmente, do recurso financeiro de custeio destinado ao município, existe uma verba específica destinada para o esporte, que poderia ser utilizada nessa manutenção do COPEM?
R.G.: Não, porque não é obrigatório. Pelo que eu entendo, é obrigatório a porcentagem referente às áreas de educação e saúde. O restante do recurso é destinado pelo prefeito. O Conselho Municipal de Esportes foi criado no mandato do prefeito Lélis, se não me engano no ano de 2013, só que ele foi criado, aprovado na Câmara Municipal e engavetado na Prefeitura. Não existem atas, não tem registro de quem foram os conselheiros e hoje nós queremos coloca-lo em funcionamento, porque dentro do Conselho, existe um Fundo Municipal de Esportes que poderia receber doações de empresas privadas e de órgãos públicos. Eu até pensei, não sei se poderia, teria que avaliar a legalidade, do Conselho administrar o COPEM. Não acho viável que o Complexo volte a ser administrado como uma Associação, pois, acredito que voltaria a acontecer o que infelizmente aconteceu, que foi a depredação e a má gestão. Também acredito que cobrar uma cota para a população que queira utilizá-lo não seria suficiente para arcar com os custos de manutenção. A população que irá utilizar o espaço são pessoas de baixa renda, então não pode ser uma mensalidade elevada, pois quem tem condições arca com cotas em clubes como o Campestre e a AABB. Esse tipo de mensalidade iria ajudar, mas ainda precisaria de recurso da Prefeitura. Hoje está sendo mantido pela Prefeitura, nós queremos melhorar a segurança colocando vigia em todos os turnos, estamos fazendo o projeto da cerca concertina em volta, pois, nós temos problemas de invasão para uso de drogas, quebraram os vidros do vestiário que haviam sido reformados na gestão passada, então poderá inibir esse tipo de vandalismo. Nós estamos preocupados com essa questão da segurança com o bem público. Depois que realizar a reforma do espaço de vestiários, a SELT funcionará dentro do COPEM e pretendemos colocar câmeras e alarmes.

Continua na próxima edição...não perca!